segunda-feira, 7 de agosto de 2017

  1. Quando era pequena tive um cão, o Menino, que me ia buscar à escola, mais tarde tive o King que a minha Mãe herdou do vizinho que não lhe dava o carinho necessário e recentemente a minha Maggie que morreu 27 de fevereiro de 2014 e que ainda hoje choro, ter mais? Não sei, já não sou nova e penso muitas vezes no que aconteceu às gatinhas dos meus Pais. Nem eu nem a minha irmã ficámos com elas e assim foram para à Cristina Isidoro que as trata como elas merecem. Muitas vezes penso o que aconteceria aos meus 3 gatões se eu e o Filipe não estivéssemos cá, quem ficava com eles? Por isso tenho adiado, sempre, arranjar alguém para ocupar e não substitur a minha Maggie.
    Desculpem hoje estou em dia não

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Alguma das meninas/os percebe de números??????
Penso muitas vezes no significado dos nºs na vida das pessoas, tem de haver uma explicação. A minha vida gira à volta dos nºs 1-5-7 e só são outros nºs quando a mão do homem se mete ao barulho.
Senão vejamos:
5 de Fevereiro -nasceu o meu tio João
5 de Setembro - " a minha tia Madalena ...
11 de Março - " o meu marido
11 de Setembro entrei no BES
15 de Fevereiro nasceu a minha filha
15 de Outubro " o meu sobrinho
17 de Janeiro morreu o meu Pai
17 de Outubro " o meu sogro
17 de Fevereiro nasci eu
Alguém tem uma explicação, um estudo, qualquer coisa para isto?

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Como muitos sabem trabalhei 36 anos no Banco Espirito Santo, desse tempo 23 anos da minha vida foram passados na Dependência de Benfica. Fiz lá amigos, menos amigos (penso não ter feitos inimigos), durante esse tempo tive a minha filha, vi outros terem os seus, entravam colegas, saiam colegas, muitos iam para aquela "escola" aprender, mas todos tinham uma coisa em comum tinham passado pela dependência de Benfica e isso ficava no sangue como se de um bichinho se tratasse.
Amanhã e ao fim de alguns anos de não nos vermos vamos todos jantar, que melhor prenda de Natal me podiam dar? FELIZ NATAL E BOM ANO 2016 meus queridos colegas de quem tenho tantas e tantas saudades. Beijinhos

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Tive que ir a Campolide e fiquei à espera nas traseiras do Restaurante Valenciana. Que triste, vive lá um bando de pombas, muitas estão com as asas partidas, outras coxas por feridas provocadas por arames fininhos que ali à volta colocaram para as afugentar e todas cheias de fome.
Não consigo compreender esta relutância ou esta guerra declarada a aves inocentes, sujam? claro, não sabem usar WC mas isso não é motivo para as matar à fome, ninguém as alimenta e quando alguém o faz é multado. Deve haver uma explicação inteligente para isto mas eu como sou burra ainda a não descobri

terça-feira, 19 de maio de 2015

O JN DIVULGOU UM MAPA EM QUE A LARANJA PINTAM PORTUGAL
POR MÁS PRÁTICAS COM ANIMAIS
touradas, jardins zoológicos, passeios de charrete e a possibilidade de nadar com golfinhos são exemplos sobre Portugal recolhidos num mapa digital, promovido por uma fundação espanhola, que pretende alertar os turistas para más práticas...
Agora digo eu: ...
O mapa tem razão, mas ter sido feito por um espanhol? E a Espanha não está também a laranja porquê?Têm touros de morte, sacrificam touros em festas religiosas selvaticamente e só põem colorido em Portugal???Tem a sua graça se não fosse triste. Têm que colorir a península ibérica!! Nos países nórdicos onde é permitido abusar sexualmente dos animais, na Ásia onde além de comerem cães, meterem seres vivos dentro de medalhões para usar ao pescoço, grelharem polvos vivos, e mais não digo porque já estou a ficar doente só de pensar e só Portugal está colorido? Realmente quem fez o mapa devia rectificá-lo se quiser ser honesto!!!!Devia pintar o mundo inteiro ,pois que eu saiba, nenhum pais está isento de culpa

  •  
    Escreve um comentário...

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Quando era uma "teenager  inconsciente" passava férias com os meus pais e irmã  em Armação de Pêra. Na altura havia um casino (se assim se podia chamar) gerido peli Sr Simões. Todas as familias compravam por época uma entrada  conjunta (pais e filhos) que lhes dava direito a lá entrar todas as noites participando assim nos bailes diários e nos concursos que iam inventando. Eu, por norma tinha como par um jovem de Silves chamado João Brigida. Eramos. modéstia à parte, uns excelentes bailarinos e uma das nossas especialidades era precisamente o corridinho, para o dançar a preceito fazia-o sempre descalça, adorava!!!Que saudades!!! 

sábado, 28 de junho de 2014


Dia 30 a 1 de Junho

Última etapa da nossa viagem- Sevilha.
Conhecemos esta cidade tão bem como Lisboa tantas as vezes que lá vamos (todos os anos) por adoração completa do meu marido.
Ainda bem que era a última porque não podia ter corrido pior.
Ao fazermos a marcação não reparámos que era um Íbis budget, não reparámos e se o tivéssemos visto se calhar ficávamos na mesma por desconhecer a diferença.
Em primeiro lugar ficava no "cu de Judas" só com um autocarro a passar lá quando "o rei fazia anos", o tempo que lá estivemos andamos quase sempre de táxi.
Quando estávamos na recepção para fazer o check-in, com mais pessoas atrás de nós, apareceu de repente um casal de espanhóis sem bagagem que passou à frente de todos para arranjar um quarto por uma noite. Mau Maria- pensei eu - isto parece as pensões baratas do Cais do Sodré.
Fomos pôr as malas ao quarto e ficámos parados a digerir as instalações. A sanita num cubículo com porta de madeira, o lavatório dentro do quarto, a cabina de duche parecia um porshe dentro de uma garagem a cair de podre de tão luxuosa que era ( a  àgua tinha luz que mudava conforme a temperatura), o quarto era tão pequeno que se um se sentava na secretária o outro já não podia passar.
Duas coisas boas a simpatia do pessoal e a limpeza das roupas e do quarto.
Como uma coisa nunca vem só tanto eu como o Filipe ficámos com diarreia e eu também com vómitos, ainda hoje estamos para saber o que comemos em Granada para adoecermos.
De noite era um hotel cheio de barulho, portas a bater não interessava nada as horas que era.
Estávamos tão contentes que tínhamos o hotel pago até dia 2 e no dia 1 de manhã já estávamos a regressar a casa. Por agora ficámos fartos de espanhóis e da sua comida.    

Dia 28 a 30 de Maio

Chegámos a Granada, como sempre, à hora do almoço. Ficámos novamente num IBIS.
Já conhecia esta cidade e posso afirmar que é uma das minhas preferidas.
É linda!!!  Os  seus edifícios cheios de história são todos de dimensões pequenas (ao contrário de Madrid e Barcelona) sendo portanto mais fácil a sua observação.    
O "Mercado de Artesania" transporta-nos ao norte de África são basares de cheios de cor, de brilhos. As ruas são tão estreitas que metade da rua tem em exposição os suas ofertas e o que sobra não dá para 2 pessoas se cruzarem sem ser de lado.
Ninguém devia de deixar de a visitar
Dia 26 a 28 de Maio

Chegámos a Múrcia antes do almoço e fomos de imediato ao hotel o 1º  IBIS da nossa vida.
O hotel ficava a dois passos de uma das maiores avenidas da cidade, onde podíamos apanhar com facilidade autocarros e metro de superfície a que os espanhóis chamavam de Transvias. Como a cidade não é grande rapidamente estávamos no centro. Aproveitámos estes dois transportes para visitar a cidade já que não havia autocarro turístico.
A cidade é muito arborizada o que torna as suas ruas frescas e agradáveis. Como destaque temos a catedral e a cidade  universitária.
Almoçámos num restaurante muito engraçado todo decorado com produtos como se se tratasse de uma quinta: ovos, aboboras, cebolas, alhos, melões..... chamava-se "La Pequena Taverna".Com tantas refeições fora este destaque deve-se ao facto de ter sido o restaurante mais bonito, em termos de decoração.
Partida para Granada

domingo, 25 de maio de 2014


Dia 22 a 26 de Maio

Chegámos a Valença e cá permanecemos com 3 dias para visitar a cidade, como é hábito comprámos bilhetes para o autocarro turístico só não contámos foi com uma gripe chata que me atacou (resultado de um passeio no andar de cima do autocarro em Barcelona com vento e chuva) e uma diarreia que apareceu ao Filipe.
Nesta cidade ficámos no Hotel Holiday Inn mais uma vez.
A parte velha da cidade é  pequena talvez comparada a Zaragoza . É uma cidade com edifícios majestosos a par de um complexo moderno onde se situa a Ciudad de las Artes Y las Ciencias , um porto muito bonito. É tal como Zaragoza uma cidade calma, simpática sem montes de pessoas a atropelarem-se. Até agora são as minhas preferidas embora tenha que reconhecer que toda a gente deve visitar Madrid e Barcelona pela sua riqueza arquitéctonica.
Amanhã partimos para nova etapa, desta vez Murcia   
De 18 a 22 Maio

Com 3 dias inteiros para ver Barcelona e depois de muitos Km andados, tanto de autocarro turístico como a pé, quase posso afirmar que devem haver poucas pessoas que conheçam a cidade como nós.
É enorme, grandiosa e com milhões de pessoas a cruzar as suas ruas, parecem formigas.
As Ramblas- isso é outra conversa- existem várias mas a mais conhecida sai da Praça da Catalunha e foi, para mim, uma decepção. O que é a Rambla? Imaginemos a Av da Liberdade com transito nas laterais e no centro um passeio largo com stands das mais variadíssimas coisas:  flores, recordações, doces típicos....Depois de levar anos a ouvir engrandecer a tão famosa Rambla estava à espera de uma coisa diferente